Imprimir

Pampa - um bioma típico do sul da América do Sul

Publicado . em Biodiversidade

O Pampa é a única grande área natural restrita a um único estado brasileiro,o Rio Grande do Sul. O bioma avança para o Uruguai e a Argentina. É exclusivo do sul da América do Sul. O Pampa ocupa pouco mais de dois por cento do território nacional, de acordo com o Mapa de Biomas do Brasil, do IBGE. O Pampa inclui outros ecossistemas, além do campo propriamente dito. Os Banhados, áreas alagadas, protegidas por lei porque são fundamentais para a reprodução da vida e para a regulagem dos ciclos da água. As Matas Ciliares ou de Galeria, que acompanham o curso dos rios e servem de refúgio para a fauna.


Entrevista com Jan Karel/Biólogo-"Durante muitas décadas, não houve estudos nos Pampas gaúchos. Eles priorizavam estudos nas florestas e com estes estudos recentes se descobriu que além da fauna típica do Pampa, como a Ema, o Ratão do banhado, a Capivara, se descobriu uma série de animais que não se tinha notícia antes, como Papa Mosca do Campo, a Curruíra do Campo, foi encontrada na Reserva do Ibirapuitã. Inclusive estudos recentes descobriram uma espécie de Tuco Tuco que não era conhecida da Ciência ainda. Estes estudos são necessários para ajudar a preservar espécies ameaçadas de extinção como o Veado Campeiro e o Lobo Guará, que vivem aqui no Pampa do Rio Grande do Sul".


A vinda do gado da Europa, a partir do século 17, ajudou a moldar a paisagem do Pampa. Os cientistas afirmam que se não fosse o gado, haveria mais floresta e menos campo no território gaúcho. No fim da década de 90, pesquisadores afirmavam que o "Pampa é uma das raras paisagens do Planeta em que a exploração humana se encontra em relativa harmonia com o ecossistema". Mas a situação vem mudando. A conservação do bioma está ameaçada em função das atividades agrícolas, como o plantio da soja.


O Capim Caninha, nativo, vem perdendo espaço para o Capim Anoni, gramínea exótica da África que parecia ser mais produtiva para alimentar o gado, mas não se mostrou tão eficiente e acabou eliminando várias espécies nativas.


As alterações climáticas também ameaçam a conservação da Biodiversidade no Pampa. Em todo o ano de 2004 choveu menos que a média aqui no Rio Grande do Sul. Em novembro, a situação começou a ficar crítica, tanto que mais de duzentos e cinqüenta municípios decretaram estado de emergência. Outra ameaça ao Pampa são as manchas de areia registradas em campos de dez municípios da região de Alegrete, terra do poeta Mário Quintana, no sudoeste do Rio Grande do Sul. Os solos, formados de arenito, são muito rasos, e ficam expostos quando impactados. A Fundação Maronna é um ong que dissemina técnicas que prevêem a sustentabilidade da produção. Uma delas consiste em ajustar a carga animal, a quantidade de gado pastando num determinando campo, de acordo com a época do ano, para conservar os campos nativo.

 

Autor:
Pauta: Maria Zulmira de Souza. Reportagem : Cláudia Tavares. Imagens: Edgar Luchetta. Auxiliar de Câmera : lávio Ferreira. Operador de Áudio :Ailton Alves. Edição de Imagens: Marcos Cabral. Edição de Texto: Mariene Pádua. Coorda. Produção do Quadro : Monica Kezan. Produtor Executivo: Maurício Gonçalves. Editora-Chefe : Vera Diegoli.

 

 

 

Fonte: Tv Cultura.

Você é registrado? Efetue login no menu a direita ou Clique aqui...